Search
  • Fernando Peters

THE FIRST MORNING/A PRIMEIRA MANHÃ

Updated: Jul 21, 2020

In 2013 (yes, a few years ago ...) I was recording a bass for another job, when I started messing with a melody that came to my mind. It wasn't necessarily a melody for the electric bass - in fact, it probably wasn't for the bass at all... I programmed some pretty basic beat in the tempo I was playing and recorded what I had in mind with the Music Man, pluged on a (very heated) preamp. One or two takes, no more. I remember listening, unpretentiously, a few days (weeks?) later and thinking, jokingly: this is where my inner Lemmy meets my inner Chet Baker. Whatever it was, other ideas like that started to bloom.

The song stayed untouched for a few more years, until one day it jumped in front of me and I understood that the second part, where I had improvised a chord sequence, needed another voice. I called Julio Rizzo, already with the idea of sharing that vibe between two predominantly low freq instruments - the bass and the trombone. What he did not only wonderfully solved this specific song, Les Matins Secrets, but also summed up the spirit for the rest of the album.

It would still take some time (and an unexpected event ...) for me to take all the material out of the drawer, edit, organize, record what was missing and deliver the mix to Luciano Albo's care. But let's talk about that later. ;)


. . .


Em 2013 (sim, faz alguns anos...) eu estava gravando um baixo para um outro trabalho, quando comecei a brincar com uma melodia que me veio à cabeça. Não era, necessariamente, uma melodia para o contrabaixo - na verdade, nem deveria ser. Fiz um beat qualquer no andamento que eu estava tocando e gravei o que tinha em mente com o Music Man espetado num pré-amplificador bastante distorcido. Um ou dois takes, não mais do que isso. Me lembro de ouvir, despretensiosamente, uns dias (semanas?) depois e pensar, rindo: é aqui que o meu Lemmy encontra o meu Chet Baker. E nessa onda, outras ideias começaram a vir.

A música ficou lá, guardada durante mais alguns anos, até que um dia ela reapareceu na minha frente e entendi que a segunda parte, onde eu tinha improvisado uma sequência de acordes, precisava de uma outra voz. Chamei o Julio Rizzo, já com a ideia de dividir a atenção entre dois instrumentos predominantemente graves - o baixo e o trombone. O que ele fez não apenas resolveu maravilhosamente esta canção específica, Les Matins Secrets, como resumiu o espírito do resto do álbum.

Ainda demoraria algum tempo (e necessitaria de um evento inesperado...) para que eu tirasse todo o material da gaveta, editasse, organizasse, gravasse o que faltava e entregasse a mix aos cuidados do Luciano Albo. Mas falemos disso depois. ;)

11 views

fernando peters